Hoje o post é todo naquele pique “gente como a gente” do jeito que o brasileiro gosta! Enquanto comia Fini e assistia Friends, resolvi tomar coragem e falar sobre como foi fazer a minha primeira tatuagem na última quinta-feira (03).

Começando pelos medos, o principal motivo de não ter feito antes, foi pela pressão psicológica que a minha família fazia durante anos. Outro fato que sempre me deixou com um pé atrás, são os preconceitos que rola com a pessoa que possui tatuagem exposta, principalmente no meio empresarial.

Sou apaixonado por tatuagens, é uma arte que deve ser pensada, para você querer eternizá-la contigo. Quando eu olhava alguém nas ruas e até mesmo meus amigos com uma, ficava admirando, fazendo várias perguntas. E como um bom pisciano, me imaginava com o braço todo cheio de tatuagens, mas que tinha nenhum desenho.
Após MUITO TEMPO, pesquisando algo com que me identificasse e representava, escolhi a base do meu desenho, pesquisei o tatuador através de indicações dos amigos e fui!
Chegando no estúdio ainda com um pouco de medo (da dor pois tenho pânico de agulha), fiquei um bom tempo conversando com o tatuador, que me aconselhou bem. Como queria algo único e meu, modificamos algumas coisas no desenho e simplesmente adorei o upgrade e superei o medo daquela maquininha haha.
Bem, chega de enrolação, está aí a minha tattoo, e muitos me perguntaram o que ela significava para mim, e bem, isso é algo tão particular de cada um, que não precisamos sair contando a todos. é bom conseguir guardar segredos para nós mesmos e deicar as pessoas curiosas! hahaha
Minha dica: Como já disse, tatuagem é uma arte, uma poesia que deve ser pensada e admirada todos os dias para ser marcada na pele. Deve ter um sentimento único para não ser algo vazio. Se você passa pela mesma situação que eu estava, pesquise bons profissionais, espere o seu tempo e depois converse com o tatuador, veja os trabalhos já realizados por ele, quando estiver pronto, estará como Bárbara Evans! hahahaha