Atriz protagonista “vilã da patinação”


I, Tonya acompanha a trajetória de Tonya Harding (Margot Robbie), ex-patinadora no gelo que durante a década de 90, conseguiu superar sua infância pobre e emergir como campeã do Campeonato de Patinação no Gelo do Reino Unido e alcançar o segundo lugar no campeonato mundial.

Infelizmente Tonya ficou realmente conhecida quando seu marido, Jeff Gilloly (Sebastian Stan), e dois ladrões tentaram incapacitar uma de suas concorrentes, quebrando a perna dela durante as Olimpíadas de 1994.

O atentado é até hoje um dos maiores escândalos do mundo do esporte, porém, mais do que contar o ocorrido, o filme quer desvendar a história de vida da garota que desde muito cedo lutou muito para se destacar e fazer do sonho uma profissão.

Afinal de contas, cá entre nós, que graça teria um filme baseado na história de vitória e superação da vítima Nancy Kerrigan?

Tonya nos mostra a dificuldade de sucesso em um esporte que exige perfeição e adequação, enquanto sua própria vida não representa nada disso, muito pelo contrário.

Margot Robbie brilha em cena, mostrando o misto de força e fragilidade emocional da personagem, que tem a patinação como resumo de toda a sua vida e assiste seu sonho ir por água a baixo.

Grande destaque também para Alison Janney, que aparece irreconhecível como Lavona Harding, mãe de Tonya, papel que lhe rendeu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no Globo de Ouro deste ano.

O filme nos faz rir e detestar ao mesmo tempo essa mãe que certamente é peça chave que molda todo o comportamento explosivo da protagonista e faz entender a aceitação de um relacionamento abusivo.

O filme mescla muito bem elementos de humor e drama, conseguindo entreter enquanto conta sua história, que já começa com depoimentos dos envolvidos no “incidente”.

Os personagens fazem comentários durante todo o filme a respeito dos fatos que vão ocorrendo a partir de suas declarações.

A produção traz cenas belíssimas de patinação, e podemos sentir a emoção e nervosismo de Tonya a cada competição, e entender sua revolta a cada nota baixa aplicada pelos jurados, que tentam a todo custo enquadrá-la nos padrões impostos neste esporte.

Patinação que exige talento, mas também uma imagem forte de representação americana.

Resultado de imagem para i tonya

Como sabemos, o Globo de Ouro é considerado um pré-Oscar, e certamente I, Tonya estará presente, com todo o mérito, entre as indicações. O filme chega aos cinemas brasileiros no dia 15 de Fevereiro.

 

Confira o trailer legendado: