Filme de Guillermo del Toro lidera indicações ao Oscar


The Shape of Water se passa na década de 60, ambientada na Guerra Fria, período de conflitos políticos, transformações sociais e interesses científicos.

Elisa (Sally Hawkins) trabalha como faxineira em um laboratório do governo dos EUA, que secretamente esconde uma criatura trazida da América do Sul, semelhante a um anfíbio.

Doug Jones dá forma este monstro, que vive sujeito a experiências e cujo Elisa se identifica imediatamente.

A Forma da Água lidera o número de indicações ao Oscar, disputando 13 estatuetas nesta 90ª edição.

Listamos seis motivos pelos quais o filme têm encantado o público e a crítica:

 

1 – Efeitos práticos, não especiais, o que deixa tudo mais natural nas cenas com o monstro

 

2 – A protagonista é incapaz de falar, e sente compreensão na criatura, desafiando a atriz a expressar-se somente através de gestos e olhares

 

3 – Protagonista corajosa e que quer ser livre para viver sua história

 

4 – Coadjuvantes reforçam a produção, com destaque para a ótima Zelda (Octavia Spencer), indicada à Melhor Atriz Coadjuvante

 

5 – O filme é uma grande fábula que não problematiza a relação entre os dois

 

6 – Estética bonita e trilha sonora de acordo

 

7 – O agente Strickland (Michael Shannon) é o vilão que podemos odiar

A história nos envolve facilmente no plano de Elisa para libertar a criatura, e nos damos conta de que o objetivo do filme não é explicar a origem daquele ser  ou seus poderes especiais, e sim estruturar a relação pura que existe entre eles.

Confira também: Lady Bird I, TonyaTrês Anúncios Para Um Crime Dunkirk e Corra!